DestaqueNotícia

Mario Motta lança livro sobre sua inspiradora trajetória de vida

No dia 17 de terça-feira, ocorreu um evento na Galeria Meyer Filho, no hall da Assembleia Legislativa, para marcar o lançamento do livro “Do Picadeiro do Circo ao Jornal Nacional: um legado de vida e carreira”, escrito pelo deputado Mario Motta (PSD). A obra relata a jornada do professor, radialista e comunicador, que nasceu em São Paulo, cresceu como palhaço e músico no circo e posteriormente encontrou seu caminho na área da comunicação.
As páginas do livro relembram sua passagem pelo cinema, sua formação acadêmica em educação física e suas outras experiências profissionais, até chegar à bancada de um dos principais telejornais do país. Segundo o parlamentar, o livro abrange desde suas atividades circenses até os 14 anos, passando por uma carreira de 38 anos como profissional de educação física e seus 36 anos de trabalho na área da comunicação. O livro foi escrito antes de ele assumir o cargo de deputado estadual.
Durante a cerimônia de lançamento, o autor expressou sua gratidão a todas as pessoas que conheceu e com as quais desenvolveu relacionamentos de carinho e amizade ao longo de sua jornada. “Em 14 anos de vida no circo percorri 350 municípios e conheci muita gente. Em todo lugar que visitei encontrei um abraço amigo, um prato de comida”, declarou Motta, encerrando com um verso do compositor Luiz Gonzaga, que diz que “Toda pessoa sempre é a marcas das lições diárias de outras tantas pessoas”.
Vale destacar que nas páginas do livro, Mario Motta dedicou um espaço para compartilhar sua participação no lançamento de uma edição da Revista Foco Livre, do radialista e empresário Fernando Carvalho.
A cerimônia de lançamento contou com uma apresentação musical de Dudu Fileti, cantor da Camerata, seguida por uma sessão de autógrafos e registros fotográficos com os convidados.

Fernando Carvalho entrevista os jornalistas Roberto Alves e Moacir Pereira no lançamento do livro de Mario Motta:

Com informações da Agência Alesc e foto de Rodolfo Espínola