Câmara de Imbituba aprova Moção homenageando policial militar do 34º BPM gravemente ferido em ação – Rádio Foco Livre

Câmara de Imbituba aprova Moção homenageando policial militar do 34º BPM gravemente ferido em ação

A Câmara de Imbituba aprovou durante a Sessão Plenária realizada na noite da última segunda-feira (25), Moção de Congratulação ao policial militar Alberto Rodrigues Neto, que integra o 34º Batalhão da Polícia Militar, por ato de bravura, após ser ferido gravemente em uma operação de bloqueio da PM na BR-101, em auxílio à Polícia Rodoviária Federal durante perseguição a um veículo com registro de furto, em 29 de novembro de 2020.

Os vereadores autores da homenagem, Rafael Mello da Silva (Podemos), Leonir de Sousa (Podemos) e Tiago Rosa (PP), subscreveram a Moção de Congratulação pelo acidente que vitimou o soldado da PM deixando-o com ferimentos que ainda hoje, passados quase um ano e meio, ainda estão sendo tratados.

O soldado Alberto estava em uma operação de bloqueio da PM na BR-101, em auxílio à Polícia Rodoviária Federal durante perseguição a um veículo com registro de furto, quando foi atropelado pelo veículo em fuga.

A viatura 2877 composta pelos soldados Correia e Alberto se posicionaram de forma a parar o trânsito na rodovia federal e abordar o veículo furtado quando o soldado foi atingido pelo condutor que trafegava em alta velocidade. Alberto Rodrigues ainda luta para superar as limitações causadas pelo triste acidente que o vitimou ao ser ferido no cumprimento do dever.

“O pedido para a homenagem da Moção de Congratulação, após esse tempo transcorrido, é em decorrência do ato de bravura praticado por este abnegado policial que, para defender a vida e o patrimônio de terceiros, colocou sua própria vida em risco”, justifica um dos autores, vereador Rafael.

Para o soldado Alberto, os momentos chocantes e dolorosos daquele acidente ainda são sentidos diariamente em sua vida e durante esse longo período de recuperação passou por delicadas cirurgias e necessita de acompanhamento médico regular. As sequelas do acidente ainda são visíveis e limitam sua capacidade de exercer a sua atividade. O soldado teve a tíbia de uma das pernas quebrada e foi necessária cirurgia com fixação de haste intramedular (haste de metal externa), três fraturas no acetábulo (osso de fixação do quadril) e diástase da sínfise púbica, além do rompimento parcial do bíceps em um dos membros superiores.

“Não é necessária muita explicação para entender que o acidente foi muito traumático, que demandou uma recuperação lenta e paciente e envolveu não só a própria vítima como também seus familiares”, finalizou o vereador Rafael.

Por HOLMES BRASIL JR.